Ambiente Geral

Passeios guiados no Jardim do Cerco

Para assinalar o Dia Mundial da Floresta Autóctone, a Câmara Municipal convida todos os interessados a realizarem, no dia 23 de Novembro, um passeio guiado pelo Jardim do Cerco, que será finalizado com uma ação de plantação em área reservada para o efeito.

Poderá optar pelo horário das 9h00 ou das 11h00, sendo necessário realizar inscrição até dia 18 de Novembro.

Concluída a atividade, poderão apanhar uma bolota (fruto do carvalho) no local e realizar a sua própria plantação em casa. Para a plantação de bolota em casa, pode ser utilizado como vaso qualquer tipo de recipiente, tendo como principal preocupação a reutilização de materiais, tais como, garrafas de plástico, pacotes de leite ou garrafões de água, entre outros. No entanto, a Câmara Municipal disponibiliza, a quem não tiver à sua disposição, um vaso para plantação.

Após a germinação da bolota, e quando os exemplares atingirem uma altura entre 9 a 15 cm, estes poderão ser entregues no Jardim do Cerco ou plantados nos seus jardins ou quintais.

Para inscrição na atividade deverão ser enviados para o e-mail [email protected] os seguintes dados:

  • Nome completo
  • Telefone
  • E-mail
  • Morada
  • NIF
  • Data de Nascimento
  • Tem preferência no horário?
  • Se sim, qual? 09h-10h30 ou 11h-12h30?
  • Pretende receber um vaso no final da atividade?
  • Vai entregar a semente germinada no Jardim do Cerco?

O limite máximo de participantes é de 25 pessoas por passeio.

A floresta autóctone constitui o património natural do território português, relevante a vários níveis, visto que desempenha um papel significativo na conservação da biodiversidade e no fornecimento de diversos produtos e serviços associados a atividades humanas (como a madeira, a cortiça, os frutos secos, os cogumelos, etc.).

Nos últimos anos, Portugal tem vindo a sofrer vários incêndios florestais, responsáveis pela destruição de grande parte da natureza (árvores, arbustos, plantas, mamíferos, aves, insetos, etc.), o que compromete o equilíbrio dos nossos ecossistemas. Devem-se evitar os riscos, nomeadamente, entre junho a outubro, evitar a realização de fogueiras, queimadas, ou lançar foguetes.

É importante agir no sentido de proteger e requalificar a nossa floresta!