Geral Opinião

A fome e as previsíveis novas vagas migratórias em direção à UE

Uma das consequências indiretas, mais graves, da guerra na Ucrânia será a fome que se prevê assolar o Continente Africano, efetuando uma maior pressão demográfica no Sahel, e em todo o Magrebe e Mashereque, regiões que são importantes para a segurança e defesa da Europa.

A fome implicará um novo fluxo migratório em direção à Europa, nas várias rotas já conhecidas, e que novamente darão grande poder negocial a Erdorgan, cujo Estado tem servido de zona tampão, para a contenção de emigrantes ilegais, que a troco de avultadas verbas da UE, tem sustido, vulgo prendido, esses emigrantes em campos de refugiados, vulgo de prisioneiros, uma solução vergonhosa tida pela UE, num passado recente que vai contra a Carta dos Direitos Humanos da ONU, e da Carta da própria UE.

Nuno Pereira da Silva
Coronel na Reforma

Acerca do autor

Nuno Pereira da Silva

Coronel de Infantaria na Reserva

Adicionar comentário

Clique para comentar